Dando voz aos treinadores: pesquisa sobre a concepção tática do handebol

Convidamos os treinadores de handebol que nos seguem a preencherem a pesquisa abaixo. Se preferir, você pode acessar pelo link (https://goo.gl/forms/ztVnANuIksgvNS4i1) ou preencher diretamente no formulário abaixo. Indique esta pesquisa a um colega treinador, assim, nossa pesquisa pode se aprofundar ainda mais. Um abraço! Continuar lendo Dando voz aos treinadores: pesquisa sobre a concepção tática do handebol

Respondendo a dúvidas que podem ser comuns a muitos professores

Recebi estas dúvidas por e-mail e achei interessante colocá-las no site, pois pode ser a dúvida de muitos de vocês. O goleiro está caído e, durante a defesa, deixa a bola sair da linha da área de gol. Ainda caído, sem o controle da mesma, puxa levemente a bola para dentro da área de gol para dominá-la e seguir o jogo. Isso é falta? Que … Continuar lendo Respondendo a dúvidas que podem ser comuns a muitos professores

Modelo Competitivo na Infância: A premiação aos artilheiros e possíveis impactos ao processo de aprendizagem do handebol.

 

A pedagogia do esporte tem discutido o papel do esporte para crianças e jovens, destacando, sobretudo, a necessidade de compreendermos que no processo de ensino-aprendizagem-treinamento as crianças não são adultas, reflexão que sugere a necessidade de ajustes deste processo, levando em consideração características, capacidades e interesses da criança e do jovem.

São muitos os fatores que interferem nestes ajustes necessários: maturidade emocional, capacidades físicas latentes, desenvolvimento, maturação, crescimento e conhecimento do jogo com base em diferentes níveis de relação com seus elementos (estruturais e funcionais) que impactam nas possibilidade de aprendizagem da criança, por exemplo (acredito, que em se tratando destes aspectos, este blog tenha muitas sugestões de como lidar com a criança iniciante no handebol).

Ainda há um agravante: crianças se desenvolvem em velocidades diferentes, podendo, numa mesma faixa etária, algumas crianças apresentarem maior destaque no seu rendimento momentâneo, diferença esta que ao longo do processo de desenvolvimento das crianças, pode ser minimizado.

Desta forma, são muitos os trabalhos que apresentam, por exemplo, ser esta faixa etária um momento de atenção com relação aos procedimentos de aprendizagem, alguns mais recentes, como trabalhos de Jean Cotê e colegas (2007) ao proprorem o Modelo de Participação Esportiva, bem como modelos mais antigos, como propostos por Bompa (2002), Greco e Matta (1996) – ver referências bibliográficas no fim do texto.

Porém, e a competição? Como nos comportamos quando elaboramos e oferecemos uma competição para crianças e jovens? É necessário realizamos adaptações e ajustes também neste cenário ou o modelo competitivo do adulto é bom o suficiente para aplicarmos com crianças, sobretudo até os 14 anos de idade (aproximadamente)? Continuar lendo “Modelo Competitivo na Infância: A premiação aos artilheiros e possíveis impactos ao processo de aprendizagem do handebol.”

A regra do sétimo jogador de quadra e as competições de handebol para crianças e jovens: reflexões

Os jogos olímpicos foram palco para a implementação de novas regras para o handebol, todas elas aplicadas, ao me ver com êxito do ponto de vista regulamentar. Porém, de imediato, uma situação ficou evidente: como serão estas aplicações nas competições de crianças e jovens? Sobretudo até os 14 anos de idade, muitas competições optam pela utilização de regulamentos adaptados ou regulamentos técnico-pedagógicos e, destacam-se quase sempre, … Continuar lendo A regra do sétimo jogador de quadra e as competições de handebol para crianças e jovens: reflexões

Sugestões para o processo de formação de novos árbitros de handebol

Novos atores! É disso que sempre precisamos para que nossa modalidade sobreviva e permaneça sendo uma realidade.

Fala-se muito em formação de atletas, cursos de capacitação para treinadores e professores, mas e formação dos árbitros, fica como?

Assim como em todo processo de desenvolvimento, novos árbitros precisam de tempo para adquirirem “bagagem” para apitar. Não é assim também com um jovem treinador? E, com as crianças que iniciam na prática esportiva, isso também não acontece? Este é um grande desafio para Federações e Ligas.

A partir disso, alguns postulados são encarados como verdades quase que imutáveis frente ao processo de formação do jovem árbitro e quase sempre são adotadas pelas organizações responsáveis pelas competições de handebol para alavancar a carreira destes árbitros. Vamos discutir alguns deles: Continuar lendo “Sugestões para o processo de formação de novos árbitros de handebol”

Algumas considerações pedagógicas sobre as cobranças dos tiros no handebol

*Sempre é bom ler e conhecer as regras do handebol. Para isso, basta clicar no link à seguir: http://goo.gl/kmlO7y – último acesso em 5 de julho de 2015.

No Mundial de Handebol Feminino da Dinamarca, o jogo entre Brasil x França entrou com certeza para a história de nosso esporte, principalmente pelo gol da jogadora Fabiana “Dara” Diniz, a partir de um tiro de saída, numa situação em que a França jogava com o goleiro linha dando ao Brasil a vantagem de 1 gol no placar final do jogo.

Veja no vídeo abaixo este incrível lance:

Continuar lendo “Algumas considerações pedagógicas sobre as cobranças dos tiros no handebol”

O handebol é jogo de “fominha”

*Antes de continuar a leitura, confira aqui a definição de fominha (termo brasileiro), no contexto do esporte coletivo.

Geralmente, entendemos que para garantir a participação de todos durante um jogo de handebol, o uso do passe é fundamental, pois assim todos pegam na bola e participam efetivamente do jogo. Frente a esta concepção é normal que o jogador fominha fique cansado de ouvir: “passa a bola!”.

Existem algumas caraterística do handebol reguladas por suas regras, que podem colocar em xeque este conceito.  Continuar lendo “O handebol é jogo de “fominha””

Passe Balão

Sobre o uso do “passe balão” na iniciação ao handebol

Estamos muito acostumados com uma verdade indiscutível: o passe balão não funciona no jogo de handebol.

Esta afirmação tem muitas justificativas e não quero aqui questioná-las, afinal, este tipo de passe possui características que incidem negativamente no jogo (de maneira geral), por diminuir a velocidade do jogo, muitas vezes ser interceptado pelos adversários e por ser de difícil recepção, pois quase sempre é disputado por um ou mais jogadores. Logo, com base nestas características, é comum que o funcionamento do passe balão seja questionado, com razão.

Porém, muitas vezes ouvimos ou dizemos ao atleta que realiza o dito passe balão: “pára de fazer passe balão!”, mas, de quem realmente será o problema: do passador, dos colegas que vão receber o passe ou dos princípios (definidos pelo professor) que orientam a aprendizagem das crianças? Continuar lendo “Sobre o uso do “passe balão” na iniciação ao handebol”

Curso de Handebol em Campinas – GRATUITO

A parceria entre o site Pedagogia do Handebol e Associação Campineira de Handebol promoverá na próxima terça-feira, 20/10, um Curso de Handebol grátis tendo como palestrante o Prof. Lucas Leonardo. Data: 20/10/2015 Horário: 15h30 às 18h30 Inscrições: No local, 30 minutos antes do curso. Certificado de Participação: Emissão de certificado com carga horária para todos os presentes. Local: Ginásio de Esportes Rogê Ferreira (saiba como … Continuar lendo Curso de Handebol em Campinas – GRATUITO