Post fixo

Crônicas Pedagógicas: Eu posso pegar a bola?

Handebol é um esporte quase sempre estereotipado por um modelo pré-concebido: “Um jogo de bola em que a defesa se organiza numa barreira em volta da área que só o goleiro pode pisar, no qual devemos arremessar por cima da barreira para marcar gol”. Às vezes acho que isso é um pouco culpa da desinformação, afinal, é bem difícil assistirmos jogos de handebol, pelo menos, … Continuar lendo Crônicas Pedagógicas: Eu posso pegar a bola?

fonte: https://handebolbh.wordpress.com

As possibilidades de organização do sistema defensivo individual

Há alguns anos o handebol brasileiro vem se transformando nas categorias de base, principalmente nas categorias mirim e infantil. As instituições (como ligas e federações) e os treinadores tem uma grande preocupação com a iniciação esportiva dos atletas e como isso irá interferir no desenvolvimento e no futuro deles na modalidade, e por isso, há algumas modificações regulamentares nessas categorias, como por exemplo, a imposição do uso do sistema defensivo individual em partes do jogo oficial. Afinal, acredita-se que a participação em competições deve ser adequada ao entendimento, crescimento e ao desenvolvimento do indivíduo, no sentido de formação integral e estruturada do jogador de handebol.

Essa imposição do uso do sistema defensivo individual é orientada pela ideia de que há simplificação dos problemas situacionais do jogo, tornando o jogo possível aos seus jogadores. Também há o entendimento que Continuar lendo “As possibilidades de organização do sistema defensivo individual”

Curso de Handebol em Campinas – GRATUITO

A parceria entre o site Pedagogia do Handebol e Associação Campineira de Handebol promoverá na próxima terça-feira, 20/10, um Curso de Handebol grátis tendo como palestrante o Prof. Lucas Leonardo. Data: 20/10/2015 Horário: 15h30 às 18h30 Inscrições: No local, 30 minutos antes do curso. Certificado de Participação: Emissão de certificado com carga horária para todos os presentes. Local: Ginásio de Esportes Rogê Ferreira (saiba como … Continuar lendo Curso de Handebol em Campinas – GRATUITO

Pra que serve a linha tracejada no Handebol?

euLucas Leonardo é o coordenador do site http://www.pedagogiadohandebol.com.br e atua como consultor pedagógico de projetos esportivos em clubes, associações e prefeituras.

É bastante comum que seja feita a associação da “linha pontilhada” (que na realidade é tracejada) com o handebol, afinal, esta é uma das marcações que diferenciam a quadra de handebol da de futsal (existem outras particularidades da quadra de handebol como a ausência do círculo central e das linhas do escanteio, a existência das linhas de sete metros e a de quatro metros que é específica para os goleiros e também uma linha que delimita a área de substituição específica).

Muito bem, mas pra que serve esta linha em termos de regra e como compreendê-la em termos pedagógicos?

De acordo com a regra 1:5 Continuar lendo “Pra que serve a linha tracejada no Handebol?”

O handebol brasileiro precisa reconhecer seus ídolos

Para existir handebol de base, precisamos de algo fundamental: crianças querendo aprender handebol. Nunca haverá renovação sem isso.

Todo o resto: professores, competições, árbitros, clubes e associações do handebol só existirão se houver quem queira jogar handebol. Mas, o que é o tal do handebol?

Continuar lendo “O handebol brasileiro precisa reconhecer seus ídolos”

Penetrações sucessivas no Handebol: um jeito fácil de ensinar

Quer ensinar seus alunos a realizarem penetrações sucessivas (que dão origem ao engajamento)?

É fácil, coloque-os pra jogar com uma regra trazida do rugby Continuar lendo “Penetrações sucessivas no Handebol: um jeito fácil de ensinar”

Mais Lições com o Rugby Brasileiro!

Acompenhei hoje (19/11/2011), a final do Super 10, competição com as 10 melhores equipes brasileiras de rugby.

Não se tratou apenas de uma transmissão ao vivo da modalidade. Na realidade, a proposta foi fazer a melhor cobertura possível de um esporte não trivial dentro da cultura nacional, de forma que o público, ao assistir à partida aprendesse mais sobre a modalidade, conhecesse detalhes de suas regras (que não são simples, alías, muito mais interpretativas que as regras do handebol, pelo que percebi), entendesse a relação entre atletas e arbitragem. Em fim, a proposta foi cativa o público para a modalidade, e acredito que isso foi atingido. Continuar lendo “Mais Lições com o Rugby Brasileiro!”