Jogando para Aprender o Retorno Defensivo II – Jogos para a Especialização

Nas idades em que já há o processo de especialização do handebol, retornar defensivamente deve ser mais do que uma atitude aplicada em pequenos jogos, como no caso da iniciação.

Retornar defensivamente nesse período passa a ter importante carga estratégica (sem deixar de lado, claro, o fato de que as fases transitivas do jogo – retornar defensivamente e contra-atacar com rapidez – exigem grande capacidade de antecipação ao desfecho da jogada).

Retornar deixa de ser apenas uma atitude de voltar ao campo defensivo, ou de simplesmente buscar recuperar a posse de bola. Algumas funções devem começar a ser definidas enquanto modelo de jogo da equipe, estruturando o chamado “balanço defensivo”.

Balanço defensivo é uma estrurtura (móvel ou fixa) que possui características bem definidas e treinadas, de forma que a equipe possa se auto-organizar em função de elementos (referências) do jogo.

Abaixo, segue uma sequência de jogos que possibilitam a aprendizagem do retorno defensivo com o conceito de balanço defensivo. Antes, porém, de explicar as atividades, devemos definir um modelo de jogo para o retorno defensivo.

Para o exemplo deste artigo, definiremos que, na eminência da equipes deixar de ter a posse de bola, as seguintes referências devem ser observadas:

Referências Estruturais

  1. Em primeira linha de retorno, a equipe sempre retornará com 3 jogadores até a linha de 9 metros, com a finalidade de garantir sustentação defensiva capaz de inibir a rápida finalização adversária;
  2. Em segunda linha de retorno, um jogador será responsável por se dirigir até as proximidades do centro da quadra, buscando um jogador sem bola para se aproximar, de forma a inibir a troca de passes de longa e de média distância;
  3. Em terceira linha de retorno, um jogador será o responsável por inibir o passe do goleiro para o jogador da base, além da possível participação do jogador que realizou o arremesso que inibirá a ação do goleiro.

Referências Temporais e Atitudinais:

  1. A primeira linha de retorno defensivo deverá retornar imediatamente até a linha de 9 metros;
  2. A segunda linha de retorno defensivo deverá permanecer no centro da quadra até aproximar-se de um jogador que possívelmente possa receber a bola, inibindo o passe imediato a este jogador adversário, devendo recompor defensivamente logo após inibir este passe;
  3. A terceira linha de retorno defensivo deverá inicialmente inibir a ligação direta por passe longo do goleiro e posteriormente, retardar o passe para os jogadores que surjam para dar apoio ao goleiro. Após inibir e retardar os passes do goleiro, devem retornar realizando combate direto aos jogadores em bola (marcando-os individualmente), de forma a obrigar que a bola seja transportada por um só jogador, sendo que ao entrar em seu campo defensivo, devem recompor defensivamente de acordo com a plataforma defensiva da equipe (6:0; 5:1, 3:3 e etc..).

Observem, portanto, que definido o modelo de jogo de retorno defensivo, a equipe deverá treinar este modelo, pois na preleção definir tudo isso com uma prancheta ou com meras combinações não serão suficiente para que o atleta corporeifique essas complexas regras de ação.

Dessa forma, o jeito é treinar! Então, vamos aos exemplos:

Jogo 1: Jogo de Retorno de Primeira linha – Touchdown 3×3 (13, 14 e 15 anos):

O Jogo de Touchdown é bastante comum e muito utilizado como boa proposta para o ensino do passar e receber, deslocar-se sem bola e penetrar em espaços vazios. Em todas suas variações uma regra é básica – o jogador deve receber a bola e entrar com ela na região alvo do adversário, geralmente delimitada por uma linha no fundo da quadra. Com esta sendo a única regra específica da atividade, propõe-se a organização da atividade como esquematizada abaixo:

Figura 1. Touchdown para o ensino do retorno defensivo – Etapa 1: Ataque x Defesa

Figura 2. Touchdown para o ensino do retorno defensivo – Etapa 2: Contra-ataque e Retorno Defensivo

Como é possível observar, a equipe com bola deverá penetrar na área de 9 metros da equipe adversária e ali, realizar um passe para um jogador coringa (que podem ser os goleiros), que deverá o mais rápido possível lançar a bola para que os jogadores que defendiam agora contra-ataquem.

A pontuação da atividade segue a seguinte regra:

  1. Se a equipe que contra-ataca conseguir passar a bola para o coringa adversário sem que pelo menos 2 jogadores adversários (que retornam) tenham conseguido retornar até a linha de 9 metros (pisando nesta área), ganha-se 2 pontos.
  2. Se a equipe que contra-ataca conseguir passar a bola para o coringa adversário, porém, pelo menos 2 jogadores adversários (que retornam) tenham conseguido retornar até a linha de 9 metros (pisando nesta área), ganha-se apenas 1 ponto.
  3. Para que seja possível realizar um contra-ataque, todos os jogadores da equipe que irá contra-atacar deverão ter entrado na sua quadra defensiva (devem voltar para trás da linha do meio da quadra). Conforme observado na figura 1, é um jogo que pode ser realizado com dois grupos simultâneos.

Caso seja necessário, para dar dinamismo ao jogo, pode-se incluir a regra de que o jogador que entrega a bola ao coringa saia do jogo e um jogador de fora, que aguarda dentro da área adversária entre no jogo, criando um rodízio entre os jogadores de forma a poder prolongar por mais tempo o jogo (figura 2 – um jogador entra e um jogador sai), que por ser jogado com as dimensões em profundidade muito próxima da oficial, torna-se um jogo extremamente cansativo, por trabalhar fisicamente a resistência de velocidade dos atletas (daí a importância de se criar um sistema de rodízios e pausas para o jogo).

Análise Pedagógica:Como sempre discutiu-se no site, o jogo, por si só deve ser capaz de, por meio de suas regras, estimular que algumas capacidades sejam desenvolvidas. No caso deste jogo, retornar para a linha de 9 metros passa a ser uma grande necessiade, pois diminui o êxito ofensivo da equipe adversária. As regras etimula o retorno e passam a tornar latente nos atletas a necessidade de desenvolverem formas de se organizarem na quadra de forma que sempre haja 2 jogadores com possibilidades reais de retorno para a linha dos 9 metros. Desenvolve-se, assim, uma cultura de retorno defensivo, pois repetir essa ação periodicamente nos treinos capacita os jogadores a retornar defensivamente de maneira consciente e dentro de uma estratégia clara e bem definida, pois é muito mais fácil que retornem os jogadores que estão sem a bola do que o jogador que está realiazando o touchdown e entregando a bola ao jogador coringa, da mesma forma que os jogadores que estão sem a bola serão aqueles com maiores probabilidades de êxito no retorno se comparados ao jogador que está em ação de finalização.

Jogo 2: Jogo de Retorno da Segunda Linha – (3+Goleiro) x (3+Goleiro):

Atividade de 3×3 sendo que cada equipe terá um goleiro no gol. Nesta atividade, toda bola que sair de jogo por arremesso a gol, por defesa do goleiro ou gol convertido, será recolocada em jogo pelos goleiros envolvidos no lance.

O jogo, para ser bem entendido deve ser explicado em suas duas fases, conforme as figuras abaixo (figura 3 e 4):

Figura 3. Jogando para aprender o retorno defensivo em 2 linhas – Etapa 1: Ataque x Defesa

Figura 4.  Jogando para aprender o retorno defensivo em 2 linhas – Etapa 2: Contra-ataque x Retorno Defensivo

Conforme verfica-se na etapa 1, a quadra é dividida em duas metades, uma metade esquerda e uma direita.

Caso a finalização saia do lado esquerdo da quadra, a equipe que realizará o contra-ataque deverá iniciar sua primeira linha de contra-ataque pelo lado oposto da finalização com um jogador projetando-se para receber a bola através de um passe longo.

Caso a finalização saia pelo lado direiro da quadra, ocorre o contrário. O jogador que está lateralizado na defesa e encontra-se do mesmo lado em que foi realizada a finalização, deve sair numa segunda linha, correndo após o jogador que saiu primeiro, servindo como segunda opção para o lançamento do goleiro, no tocante à tentativa de dar maior velocidade ao contra-ataque.

Verifica-se também que o jogador central da defesa terá a função de jogador base, que será o apoio para o goleiro caso ele não consiga um lançamento direto para os jogadores de primeira ou segunda linha de contra-ataque.

Neste jogo, conforme vemos na etapa 2, o jogador que finaliza sai da quadra e um jogador entra em seu lugar, pela linha de fundo da equipe adversária, organizando, dessa forma um rodízio para os jogadores  que participam da atividade. A pontuação da atividade ocorre da seguinte forma:

  1. Caso o goleiro consiga lançar diretamente o jogador que sai em primeira linha de contra-ataque e este jogador consiga receber a bola e consiga converter um gol, o gol vale 3 pontos e, independentemente de sair gol ou não na conclusão do lance, a equipe ganha um tiro de 7 metros.
  2. Caso o goleiro não consiga lançar diretamente o jogador que sai em primeira linha de contra-ataque, ele deverá buscar o jogador de segunda linha de contra-ataque. Se conseguir lançar este jogador, com este recepcionando a bola e a ação converta-se em gol, a equipe ganha 3 pontos e recebe a chance de realizar um novo ataque posicionado.
  3. Caso o goleiro não tenha opções na saida de bola, ele deverá buscar o jogador da base, valendo o ataque apenas 2 pontos.
  4. O jogador da base não deve driblar a bola antes de realizar um passe para os jogadores da primeira ou segunda linha de contra-ataque, podendo ter apoio do goleiro apenas 1 vez. Caso ele tenha que driblar a bola para sair jogando o ataque terá como valor em disputa apenas 1 ponto.
  5. OBS.: Se a defesa conseguir equilibrar-se defensivamente, retardando o contra-ataque, o ataque passa a valer apenas 1 ponto em todas as situações anteriores.

Análise Pesagógica: Observando as regras descritas e a dinâmica do jogo, verifica-se que trata-se de um jogo que estimula aos jogadores mais do que o ato de contra-atacar (relativamente fácil de ensinar, tendo em vista que fazer gols sempre é muito bom e por isso, fácil de ser estimulado) também o ato de retornar defensivamente em função de referências que o jogo coloca aos atletas, criando assim uma estrutura de balan’co defensivo bem definida. Ao observar que valem 3 ou 2 pontos ações de contra-ataque convertidas em gols, além da possibilidade de serem ganhos tiros de 7 metros ou mesmo um ataque posicionado ao fim dessas ações ofensivas, as equipes que retornam defensivamente deverão ter estratégias que inibam os passes longos do goleiro e que inibam que o jogador da base saia jogando com passes de longa ou de média distância Dessa forma, os jogadores que retornam defensivamente terão que se organizar em regras bem consilidadas entre o grupo de forma que sejam organizadas estratégias que inibam o passe para a primeira linha de contra-ataque e segunda linha de contra-ataque, organizando assim um retorno defensivo em 2 linhas, buscando o equilíbrio defensivo para as 2 linhas ofensivas que se organizam pelos adversários. Um jogador deverá retornar num sprint longo (primeira linha de retorno) enquanto outro deverá controlar a ação do jogador de segunda linha de contra-ataque com uma ação de individualização de sua marcação a este jogador (segunda linha de retorno), construíndo assim a lógica do balanço defensivo descrita no modelo de jogo proposto no início do artigo.

Jogo 3: Jogo de Retorno da Terceira Linha.

Agora é com você!

Acredito que seja possível, com a descrição das atividades anteriores entender a lógica da contrução de jogos de retorno defensivo. Dessa forma, deixo o desafio para que vocês elaborem jogos de retorno defensivo visando organizar a terceira linha de retorno – responsável por inibir o passe para o jogador da base e também o combate direto ao goleiro.

Fiquem à vontade para enviar as suas ideias para meu e-mail: lucas@pedagogiadohandebol.com.br para discutirmos as ideias e as propostas.

Até logo!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s