A Gestão de Talentos Desportivos

Por: António Cunha – Coordenador do Gabinete de Andebol e Docente da
Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade do Porto.

O Andebol está entre as modalidades desportivas que desde sua criação em meados de 1915 tem vindo a evoluir de forma espectacular, pelo que surgem todos os dias problemas sérios que…obrigatoriamente é necessário debater, desde logo, os que se colocam relativamente aos talentos desportivos sem os quais a modalidade jamais poderá evoluir. Um talento desportivo cada vez menos nasce de um processo de geração espontânea, pelo que se o Andebol quiser continuar na senda do sucesso que o caracterizou nos últimos anos, tem de ter uma estratégia no que diz respeito à gestão de talentos. 
Continuar lendo

Pra que serve a linha tracejada no Handebol?

euLucas Leonardo é o coordenador do site http://www.pedagogiadohandebol.com.br e atua como consultor pedagógico de projetos esportivos em clubes, associações e prefeituras.

É bastante comum que seja feita a associação da “linha pontilhada” (que na realidade é tracejada) com o handebol, afinal, esta é uma das marcações que diferenciam a quadra de handebol da de futsal (existem outras particularidades da quadra de handebol como a ausência do círculo central e das linhas do escanteio, a existência das linhas de sete metros e a de quatro metros que é específica para os goleiros e também uma linha que delimita a área de substituição específica).

Muito bem, mas pra que serve esta linha em termos de regra e como compreendê-la em termos pedagógicos?

De acordo com a regra 1:5 Continuar lendo

O handebol brasileiro precisa reconhecer seus ídolos

euLucas Leonardo é o coordenador do site http://www.pedagogiadohandebol.com.br e atua como consultor pedagógico de projetos esportivos em clubes, associações e prefeituras.

Para existir handebol de base, precisamos de algo fundamental: crianças querendo aprender handebol. Nunca haverá renovação sem isso.

Todo o resto: professores, competições, árbitros, clubes e associações do handebol só existirão se houver quem queira jogar handebol. Mas, o que é o tal do handebol?

Continuar lendo

Avaliando no Handebol: Em que nível de aprendizagem seus atletas e seu grupo se encontram?

euLucas Leonardo é o coordenador do site http://www.pedagogiadohandebol.com.br e atua como consultor pedagógico de projetos esportivos em clubes, associações e prefeituras.

Um dos princípios básicos de qualquer organização curricular é a adequação dos conteúdos/matérias com o atual momento de aprendizagem e os potenciais a serem atingidos pelos alunos. No ensino do handebol de base isso não pode ser diferente. Compreender que o handebol é uma construção processual com etapas de aprendizagem e que para cada uma delas há a necessidade de construir um handebol possível de ser aprendido é essencial. Uma das formas de conhecer o que trabalhar é saber avaliar. E, avaliar, sempre é uma grande dificuldade, afinal, o que avaliar? Como avaliar? Continuar lendo

As Referências Funcionais Defensivas: Recuperando a Bola

Em poucos esportes, defender pode ser tão atraente como no handebol.

Dentro do funcionamento do jogo defensivo, autores como Teodorescu (1984) e Bayer (1992) apresentam a ideia de que todo esporte coletivo apresenta três ações defensivas básicas:

  1. Proteger o alvo;
  2. Impedir a progressão adversária; e
  3. Recuperar a posse de bola.

Estas três referências ou princípios, regulam o funcionamento de qualquer estrutura defensiva e toda ação individual ou coletiva do ato de defender

Tipicamente, no ensino do handebol, o olhar sobre o alto-rendimento esconde aspectos que transformam o handebol ensinado a iniciantes num jogo muito estereotipado, fazendo com que estas três funções defensivas sejam minimizadas a apenas uma: proteger o alvo.

Esse tipo de conduta transforma um jogo que possui formas de defender potencialmente agradáveis aos iniciantes num verdadeiro martírio. Fica chato defender. Continuar lendo

Recomendação de Leitura – Esporte Educacional

joãofreire_ensinar_a_viverNa obra, “Ensinar Esportes, Ensinando a Viver”, o Prof. João Batista Freire nos premia com um livro que conta um pouco sobre o seu início como professor de atletismo em São Bernardo do Campo, na década de 1970, em plena Ditadura Militar brasileira.
No livro, João mostra como que ali surgia a base de seus princípios pedagógicos (ensinar esportes a todos, ensinar bem esporte a todos e ensinar mais do que esportes a todos) e traz muitas situações com grande apelo didático e pedagógico.
Não se trata de um livro acadêmico, mas tem, em sua essência, muito das bases que influencia a atual “Pedagogia do Esporte brasileira”.
Leitura recomendadíssima para quem trabalha em escolas, ONGs, prefeituras e associações esportivas.

Abaixo, link da Livraria Cultura com mais informações sobre o livro!

http://www.livrariacultura.com.br/p/ensinar-esporte-ensinando-a-viver-30182253