As Referências Funcionais Defensivas: Recuperando a Bola

Em poucos esportes, defender pode ser tão atraente como no handebol.

Dentro do funcionamento do jogo defensivo, autores como Teodorescu (1984) e Bayer (1992) apresentam a ideia de que todo esporte coletivo apresenta três ações defensivas básicas:

  1. Proteger o alvo;
  2. Impedir a progressão adversária; e
  3. Recuperar a posse de bola.

Estas três referências ou princípios, regulam o funcionamento de qualquer estrutura defensiva e toda ação individual ou coletiva do ato de defender

Tipicamente, no ensino do handebol, o olhar sobre o alto-rendimento esconde aspectos que transformam o handebol ensinado a iniciantes num jogo muito estereotipado, fazendo com que estas três funções defensivas sejam minimizadas a apenas uma: proteger o alvo.

Esse tipo de conduta transforma um jogo que possui formas de defender potencialmente agradáveis aos iniciantes num verdadeiro martírio. Fica chato defender. Continuar lendo

Recomendação de Leitura – Esporte Educacional

joãofreire_ensinar_a_viverNa obra, “Ensinar Esportes, Ensinando a Viver”, o Prof. João Batista Freire nos premia com um livro que conta um pouco sobre o seu início como professor de atletismo em São Bernardo do Campo, na década de 1970, em plena Ditadura Militar brasileira.
No livro, João mostra como que ali surgia a base de seus princípios pedagógicos (ensinar esportes a todos, ensinar bem esporte a todos e ensinar mais do que esportes a todos) e traz muitas situações com grande apelo didático e pedagógico.
Não se trata de um livro acadêmico, mas tem, em sua essência, muito das bases que influencia a atual “Pedagogia do Esporte brasileira”.
Leitura recomendadíssima para quem trabalha em escolas, ONGs, prefeituras e associações esportivas.

Abaixo, link da Livraria Cultura com mais informações sobre o livro!

http://www.livrariacultura.com.br/p/ensinar-esporte-ensinando-a-viver-30182253

Regras Adaptadas na Iniciação: Goleiro-Linha x Defesa Individual

Lucas Leonardo:

Retomando temas polêmicos. Regras adaptadas.

Publicado originalmente em Pedagogia do Handebol:

Acompanhando e participando de algumas competições de base, observo com frequência a utilização de regras adaptadas voltadas para a iniciação (categorias mirim e infantil, principalmente), tendo como justificativa garantir uma jogabilidade que esteja adaptada à faixa etária, período de aprendizagem e desenvolvimento motor e antropométrico da criançada.

Fui um dos grandes defensores deste olhar, mas o que observamos é que a tentativa de “pedagogizar o esporte”, transforma a competição e um espaço de tentativa de “despedagogizá-lo”. Hoje, sou mais crítico a esta situação.

Vamos estudar um caso típico: A utilização de defesa individual (cerrada ou por aproximação) em meia quadra nas categorias mirim e infantil em metade de cada tempo do jogo.


Quando se cria a relação de par entre os adversários, por meio de unidades de 1×1, busca-se simplificar a estruturação do espaço, as regras de ação do jogo e aproveitar os elementos mais básicos da modalidade, facilitando a…

Ver original 492 mais palavras

Meios Táticos no Handebol

O handebol é um jogo fácil de jogar. As habilidades técnicas exigidas são habilidades comuns a vários jogos, como correr, saltar e arremessar, e suas regras básicas são facilmente assimiladas pelos jovens jogadores. Pensando nisso, o que diferencia um bom jogador de um excelente jogador, uma vez que o handebol é um esporte em que a maioria das pessoas consegue jogar sem grandes problemas? O grande diferencial entre os jogadores é a forma com que executam os meios técnicos-táticos específicos do jogo de handebol. Continuar lendo